Mãe voa para ter seu filho em BH

quarta-feira, 26 de junho de 2013 as 19:51

Cecielme de Oliveira Viana jamais poderia imaginar que, para ter suas filhas gêmeas, Sara e Estela, chegaria voando em Belo Horizonte. Entrou em trabalho de parto com 34 semanas na segunda feira, dia 24 de junho, em Santo Antônio do Amparo. Viu-se diante de um problema: como atravessar as manifestações na capital e na estrada que dá acesso a Belo Horizonte?  Os médicos indicaram transferência imediata, já que na cidade onde mora e fez o pré-natal,  não há UTI neonatal e as meninas nasceriam prematuros. Os médicos chamaram o Corpo de Bombeiros e, de helicóptero, em uma hora, Cecielme estava na Maternidade Risoleta Neves, que conta com um heliporto. De lá, veio para o Hospital Sofia Feldman.

O marido, Kenel  Ribeiro, caminhoneiro, estava em viagem já que a cesárea fora agendada para 15 de julho. No Sofia, as gêmeas Sara e Estela nasceram de parto normal, Sara com 2.115kg e Estela com 1.975kg: “quando cheguei, a cabecinha da Sara já estava aparecendo”, contou a mãe. Antes das gêmeas, Cecielme teve uma filha, Gabriela, de cesariana, hoje com 8 anos. “Desta vez, foi tranquilo. Na cesárea, depois do parto, sentia muita dor para caminhar”. Ela teve um parto natural, não tomou anestesia e não passou por episiotomia (corte vaginal).

“O funcionamento em rede do estado permitiu que ela chegasse ao Sofia, mesmo nesta condição adversa”, afirmou Dr. Ivo Lopes, diretor técnico administrativo do Hospital Sofia Feldman. Agora, com as filhas no colo, fica tentando registrar as diferenças fisionômicas: “ainda estou meio perdida, fico olhando a carinha delas e as pulseirinhas”. Na família, gêmeos não são novidade, já que do lado da mãe e do pai eles estão presentes.

Cecielme com as gêmeas, Sara e Estela

Cecielme com as gêmeas, Sara e Estela