Oportunidade: vagas para residência médica

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019 as 14:40

O Hospital Sofia Feldman tem duas vagas para residência médica em Neonatologia. Com a aprovação de novos programas de residência médica, a AREMG – Associação de Apoio a Residência Médica de Minas Gerais abriu novo edital para o Processo Seletivo Unificado Complementar 2019, acesse.

As inscrições podem ser feitas do dia 20 a 25 de fevereiro.  No momento da matrícula, o residente poderá optar pela concessão de bolsa de estudo complementar da FAIS no valor de R$ 6.000,00 (seis mil reais). Os pré-requisitos precisam ser preenchidos conforme o edital.

O residente cumprirá a carga horária de 5.780 horas no período  de dois anos.

As provas serão aplicadas no dia 27 de fevereiro.

Conheça o Sofia

O Hospital Sofia Feldman é a maior maternidade do estado, realiza, em média, 900 partos por mês e conta com a maior Unidade Neonatal de Minas Gerais. A Unidade Neonatal possui 41 leitos de Tratamento Intensivo e 45 leitos de Cuidados Intermediários, sendo 30 de leitos convencionais e 15 de leitos Canguru – é um espaço de atenção multiprofissional, onde atuam médicos (neonatologistas, cirurgiões pediátricos, cardiologistas, neurologistas, oftalmologistas) assistentes sociais, enfermeiros, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, nutricionistas, psicólogos e terapeutas ocupacionais. Oferece ainda outros espaços de cuidado preconizados pela Rede Cegonha como a Casa da Gestante Zilda Arns, com 23 leitos, o Espaço de Sofias, com 20 leitos.

O Hospital Sofia Feldman foi o primeiro em Minas Gerais a receber o título de “Hospital Amigo da Criança”, em 1995, abriu em junho de 2017, o Banco de Leite Humano, que busca garantir o Leite Humano Pasteurizado – LHP para os recém-nascido prematuros e de risco atendidos na Neonatologia. Desenvolve estratégias de humanização voltadas à integralidade do cuidado: presença dos pais com livre acesso durante todo o período de internação, participação da família e cuidado “pai/mãe canguru”. Promove internação conjunta (mãe/filho) na UCI, oferece o apoio da Amiga da Família (mulheres da comunidade que dão orientação em aleitamento materno e cuidados com o recém-nascido) e o acompanhamento ambulatorial, após a alta até os dois anos, ao recém-nascido de risco.